Categorias: Festas

Batizado da Luísa: Tema Borboletas e Anjinhos

Hoje eu vou contar para vocês como foi o batizado da Luísa. Neste post, vou falar apenas da recepção e mostrar as fotos da decoração. (Vou guardar a cerimônia para mostrar para vocês depois).

Na cerimônia a Lulubinha usou um lindo mandrião relíquia de família. Para festa, trocou para um vestidinho branquinho de batizado mais confortável.

Lulubinha de Mandrião relíquia Familiar:

 

 

Roupinha que usou na recepção:

 

 

Decoração da Recepção:

Toda a decoração do batizado da Lulubinha foi planejada e organizada pela mamãe aqui. Foi um almoço, após a cerimônia, em um dia lindo de sol. Uma celebração pequena, apenas para família e pessoas muito próximas. Ainda assim, a mamãe quis caprichar nos detalhes e organizou tudo com muito amor.

Queria algo delicado e clean. Sem exageros e bem mimoso.  O tema foi borboletas e anjinhos. Segue abaixo o resultado. Espero que gostem e que possa servir de inspiração para o batizado de alguma outra princesinha.

  • Mesa principal com painel e bolo :

 

Docinhos – brigadeiro de chocolate , brigadeiro de churros, beijinho, e leite ninho com nutella:

 

 

Cupcakes e Bombons de Anjinhos:

 

Docinhos de Colher – Brigadeiro, mousse de limão, paçoquinha de colher:

 

Tubetes com Mentos, Pirulitos de Chocolate, Chocolate Personalizado e latinhas com M&Ms:

 

 

 

Lembrancinhas: Toalhinha de mão personalizada e potinhos de biscoitinhos com chocolate, com tag:

 

Detalhes do Bolo de dois andares:

 

 

Lulubinha com mamãe a papai:

 

Ficha Técnica:

Fotos: Pé de Moleque fotografia

Papelaria personalizada:  Mundo Festix e Elo 7

Doces: Doces Delicadezas e Gabriella Doces

Bolo: Honey Cakes

Toalhinha de mão: Elo 7

Potinhos de Biscoito: Juliana

Categorias: Experiências, Festas, Jóias raras

A história da Lulubinha – Parte 2: Chá Revelação

Quem me conhece sabe… Sou a ansiedade em pessoa. É claro que eu não ia aguentar ultrasonagrafia de 12 semanas para saber o sexo. Até porque eles às vezes fecham as perninhas, viram de costas e teimam em não querer se revelar para o mundo.

Tive que ter um pouquinho de paciência e esperar “as longas oito semanas” para poder fazer o teste de sangue que permite saber o sexo. É claro que fiz no dia Dia 1 da oitava semana. Ansiosa, eu ? Não, imagina … Mas, como sempre, baseada em dados concretos: “ Se feito a partir da oitava semana, tem 99% de chance de dar certo.”. E lá fui eu colher o sangue de manhã bem cedinho, no dia 1 da oitava semana, antes do trabalho. Esperei aflita por 10 dias para sair o resultado. A partir do quinto dia, já entrava todo dia no site do laboratório para olhar se já tinha saído. É claro que somente com dez dia exatos que o resultado estava lá.

É claro que fiquei tensa e mega curiosa. Mas consegui esperar o André chegar do trabalho para abrirmos juntos. Quando clicamos no link, abre um arquivo. Cheio de informação na parte de cima. Informações essas (meu nome, datas, metodologia do exame, e blá blá blá), que foram devidamente ignoradas naquele momento, pois só conseguia focalizar meus olhos em uma palavra:  “feminino”.

Meu coração transbordou de alegria, eu pulei literalmente, e abracei o André: é uma menina, uma menina, vamos ter um casal, uma menininha….!!!”. Ele também queria menina, e ficou eufórico. Não consegui acreditar. Imediatamente minha mente viajou para um mundo desconhecido, mas encantador de lacinhos de fita, vestidinhos, sapatinhos fofos, cabelos compridos, eu arrumando e fazendo lindos penteados. “Como ela será?. “Com quem vai ficar parecida? ”.  Será que também vai vir com olhos azuis como os do irmão? “Não, acho que ela vai ser mais moreninha, cabelo bem castanho e liso escorrido como o meu (já foi um dia),  e vai ter olhos cor de mel. ” “Será que ela vai ser meiga e fofa? ou uma serelepe que vive correndo agitada? “Será que vai falar coisas engraçadas, assim como o irmão? Será que eles vão ser amigos?

Decidimos fazer um chá revelação. E logo. Pra ontem. Queríamos contagiar o mundo todo com nossa alegria. Para quem ainda não conhece, um chá revelação, é como se fosse um chá de bebê. Porém o objetivo principal é divulgar para a família e amigos, qual o sexo do neném. Muitas vezes os próprios pais também não sabem e cabe a algum amigo(a) o papel de revelar. Obviamente, minha ansiedade não permitiu isso, e no nosso caso, a surpresa era só para os convidados mesmo. Eu mesma pesquisei e produzi sozinha o convitinho virtual, com minhas poucas (ou inexistentes) habilidades de design. Foi um evento bem caseiro, só mesmo para a família, que a mamãe organizou cada detalhe. Os convidados tinham que vir vestidos de rosa se apostassem que era uma menina, e de azul caso acreditassem que era um menino.

Minha casa foi invadida por um mar de cor de rosa. Com um ou outro azulzinho isolado. Quando cortei o bolo, e o recheio era rosa, todos gritaram de alegria. Uma celebração contagiante. Uma família na qual só tinham nascido meninos até então. Minha sogra teve três filhos homens, três netos homens, e minha mãe dois netos homens. E agora vinha uma menina ….Pode-se dizer que todos ficaram nas nuvens. Já tinha gente que comprou o primeiro vestido sem mesmo saber o sexo ainda. Foi uma choradeira só. Choro de alegria é bom demais. Estavamos vivendo um verdadeiro sonho de ter nossa família completa com um casal. Foi um dia lindo e muito gostoso, comemorando com as pessoas que mais amamaos.

Fiquei de olho nos próximos post para a continuação da história da Lulubinha.

Para ler a parte um da história da Lulubinha – “A Descoberta Inusitada” , clique aqui.

 

Categorias: Festas, Inclusão, Jóias raras

Sobre conhecer a família Wolf Hirschhorn

O post desta semana não poderia ser diferente.

No último sábado, 25 de novembro,  tive a imensa alegria de participar do 3o Encontro Rio da família SWH (Síndrome de Wolf Hirschhorn).

Mais do que isso, fiquei radiante de poder conhecer pessoas maravilhosas. E e que vivem todos os dias realidades parecidas com a minha, por terem filhos com a mesma síndrome.

Muito obrigada a todos vocês, família SWH, que me acolheram com tanto carinho desde o início.

Outra novidade é que agora euzinha , junto com Angela Simas, vou ajudar a manter um novo blog sobre o Movimento Rio.

Está ficando lindo nosso blog. Clique aqui para conhecer ou acesse : http://wolfhirschhornrio.blogspot.com.br/.

Abaixo conto um pouquinho de como foi esse encontro e essas experiência incrível e e memorável. Mais informações sobre o 3o encontro você encontra aqui.

“Este foi o primeiro encontro da família SWH que eu tive oportunidade de participar.

Luísa tem apenas 1 ano e 1 mês. Infelizmente na última oportunidade que o grupo de reuniu (em abril deste ano), eu ainda nem sabia do seu diagnóstico.

Me faltam palavras para expressar o quanto foi maravilhoso :

– encontrar pessoalmente pessoas que vivem as mesmas alegrias e dificuldades do que nós

– trocar experiências e desabafos com essas pessoas que já considero como amigas

Algumas mães eu já “conhecia” virtualmente, como a Sabrina (mãe da Nina), Angela (Mãe da Ana), e Ana (Mãe da Gabi). Foi bom demais ver “ao vivo e a cores” e poder dar um abraço “de verdade” nessas mães que tanto me ajudaram nos momentos iniciais. Suas mensagens de texto, áudios, milhares de dicas, e apoio emocional foram fundamentais para superar o momento do diagnóstico e as dificuldades vividas até agora.

Também foi muito gratificante conhecer as mães (e pais) que eu ainda não conhecia, nem na esfera virtual, ou que tive pouco contato pela internet. Como, por exemplo, a mãe do Emanoel, da Eloá, do João, da Juliana, do Lipe, da Lia. Com todas elas, eu tive a oportunidade de trocar algumas palavras. Algumas conversas mais breves, outras mais longas, porém todas com muito carinho envolvido.

O evento foi espetacular. Muito obrigada a Angela pela organização, a Ana por ceder o espaço, e a todos pelas contribuições. Agradecimento super especial para os que vieram de longe: São Paulo, Sul e Paraíba !

Estava tudo lindo e perfeito. Uma tarde muito especial. Abaixo destaco alguns dos pontos altos do nosso encontro:

-Participação de profissionais da área:  Palestras da fisioterapeuta da Nina – Lígia; Palestra da Terapeuta Ocupacional do João – Lenir; sessão tira-dúvidas essas profissionais incríveis

– Decoração linda em tons de branco e verde:

– Árvore de Natal feita com CDs com fotos das nossas crianças e irmãos

– Bolo e docinhos decorados nas cores da SWH – deliciosos !

– cachos de balões verde e brancos, arranjos de flores

– banners, cartazes, panfletos sobre a SWH e muito mais.

– Leitura do texto “Bem vindo à Holanda !” – clique aqui para ler, sobre como é ter um filho com necessidades especiais – leitura feita de forma excepcional e emocionada pela Bete, Mãe do João. Contagiante… Confesso que chorei de emoção, alegria, e uma mistura de sentimentos incríveis.

– Todos cantando juntos “Somos amigos, amigos do peito, amigos de uma vez….do balão mágico”- foi lindo de se ver !

– Lançamento do blog Movimento Rio Wolf Hirschhorn  , com depoimentos de algumas mães e fotos das crianças, páginas com informações sobre a síndrome, etc.

– Lembrancinhas que amamos :

– Quadrinho do 3º encontro com nossa logo – para cada criança e irmãos

–   Fitinha do 3º encontro : 4p- é amor a mais – adorei !

–   CDs com a foto dos nossos filhos

–  Mais importante de tudo : alegria e união de todos reunidos pelo amor pelos nossos filhos e amizades construídas !

Que venham muito outros encontros com essa gente feliz.

Gente simples e amável.

Gente que luta por amor. Que não desiste jamais.

Gente que vive dia após dia superando dificuldades e reunindo alegrias.

Gente que, assim como eu, agora sabe que a Holanda é tão linda quanto a Itália. Cheia de maravilhas. Maravilhas diferentes, é bem verdade. Mas não menos encantadoras do que as Italianas.

Muito prazer em conhecê-los, queridos amigos .

Texto por: Daniela Figueiredo – Mãe da Luísa.”

Abaixo compartilho algumas fotos do nosso encontro mais que especial.