Categorias: Textos e Poesias

Minha Fofolete

 

Filha minha,

Meu docinho,

Meu algodão doce.

Como você pode ser tão meiga e ao mesmo tempo forte como um leão ?

Como você pode transmitir toda essa paz e energia pelo olhar ?

Você, meu brigadeiro de Nutella…você que transformou  minha vida em tons de rosa e em um mundo encantado de babados e laços.

E me deu de volta minha boneca. Só que agora é de verdade … Minha “fofolete”, eu te escolheria milhões de vezes se tivesse esse poder.

Obrigada minha filha,  por me escolher como sua guardiã 💕.

Obrigada Deus, por me confiar esse presente.

Autoria: Daniela Figueiredo

(texto orginalmente publicado em meu perfil do instagram @sonhodiferente em 30 de abril de 2018)

Categorias: Experiências, Textos e Poesias

Porque criei esse blog ?

Eu criei esse diário aqui como um desabafo de uma mãe assustada tentando superar a própria dor. Achei também que talvez poderia ser útil para alguém. Um dia, num futuro distante, quem sabe ?

Mas no fundo, no fundo mesmo, achei que eu fosse falar sozinha. Com tanta informação circulando na internet, como é difícil chamar a atenção das pessoas !

Acho que posso dizer que me enganei.

Muitas pessoas leem e já aprenderam amar a Lulubinha.

Muitas pessoas já disseram que mudaram sua forma de pensar ou de ver o mundo (para melhor) ao ler nossas histórias.

Já encontrei pelo menos cinco mães de crianças (atuais ou estrelinhas) com a mesma síndrome que não sabiam de outras crianças, que não sabiam do nosso grupo Brasil e graças a Deus eu pude apresentar essa comunidade para elas, ou simplesmente trocar ideias.

Já recebi cartinhas amorosas e mensagens carinhosas de mães de crianças com a mesma ou outras condições, que me acolheram e me “abraçaram” .

Já recebi tanto amor e carinho , e já me doei tanto também.

Por isso, acho que não tem sido em vão. Não foi por um acaso que decidi criar isso aqui.

Fico emocionada com as mensagens de vocês.

Tem dias, como hoje, que eu me emociono demais.

Obrigada pelo carinho de todos vocês.

 

Autoria: Daniela Figueiredo

(texto originalmente publicado no meu perfil do instagram em 05 de maio de 2018)

Categorias: Experiências, Textos e Poesias

Amor de Pai

 

 

Quase não se fala.

Quase não se escuta.

De tanto que se ouve : “amor de mãe, é amor de mãe ! ” ou algo assim, o amor do pai fica em segundo plano.

Quase um grito abafado.

Um espirro que teima em não sair. 

Quase invisível.

Quase Pepsi: “pode ser ? ” 

Aquela segunda fatia do bolo. Quem sabe o jogador reserva ?

Ou aquele que recebeu o Oscar de melhor coadjuvante?

 É claro que, como tudo na vida, não existe receita de bolo : cada caso é um caso. E tudo bem. 

Mas cá entre nós, tenho visto muitos super protagonistas ou co-protagonistas nesse filme da vida como ela é. 

Pais que passam as noites acordados com o bebê que chora e não dorme.

Pais que jogam o mesmo jogo, brincam de boneca, de carrinho ou contam a mesma história mais de 50 vezes seguidas.

Pais que não desgrudam do leito quando a criança está internada, que ficam sem comer e sem dormir enquanto não melhora.

Pais que nunca deixam o pão de queijo queimar, que nunca esquecem de trazer a melancia que o filho ama. 

Pais que escrevem livros sobre os filhos. 

Pais que lutam pela causa de seus filhos como um lema de vida.

Pais que vivem por eles, “até o infinito e além”.

Pais que criam conexões sentimentais inexplicáveis e lindas de se ver com os filhos.  Amor de pai, é amor de pai. 

Nem maior, nem menor. 

Nem mais, nem menos. 

Simplesmente, amor. 

(Texto originalmente publicado em meu perfil do instagram @sonhodiferente em 23 de abril de 2018).

Autoria: Daniela Figueiredo 

@sonhodiferente