Categorias: Experiências, Rotina com filhos

Corda Bamba

Eu nunca andei numa corda bamba.

Daquelas de trapezista no circo.

Mas se eu fechar os olhos consigo sentir no fundo da minha alma como deve ser a sensação.

Desde que tive filhos, sinto que ando sobre uma.

Quem anda em corda bamba de verdade deve ter medo de cair. Medo de perder o equilíbrio.

Acho que para a realidade materna, isso poderia se traduzir em:

Medo de não dar conta de tudo.

Medo de algo de ruim acontecer com os filhos

Medo de um dia pifar.

E assim vai.

Mas, apesar do frio na barriga que a corda bamba me dá, tenho aprendido que não vale a pena viver de medos.

Vale a pena viver um dia de cada vez.

Como disse uma vez um grande cara: “É preciso amar as pessoas, como se não houvesse amanhã. Porque se você parar pra pensar: Na verdade , não há.”

E você ? Já se sentiu numa corda bamba ? Se sim, comente aqui !

Categorias: Experiências, Rotina com filhos

“Mãezinha” não, obrigada !

“Mãezinha, a pega está errada, por isso está ferindo o seio.”

-“Mãezinha, se você ninar no colo, acostuma. Deixa chorar sozinho que dorme.”

-“Mãezinha, ela está desnutrida !”

-“Mãezinha, 37,4 não é febre.”

-“Mãezinha, vamos tirar sangue mais uma vez porque faltou um exame.”

Não, (meu Bem). Deixa eu te explicar:

Photo by Jenn Evelyn-Ann on Unsplash

-Não importa se a pega é certa ou não. Vai doer e rachar ou sim ou não. No segundo filho a gente aprende.

-Você gostaria de ficar chorando e ninguém te acolher ? Meu filho também não.

-Ela não é desnutrida. O baixo peso faz parte da condição dela. E ela é saudável assim.

-37,4, no caso específico dela, é febre sim. E bem alta !

-Ela finalmente dormiu. Por hoje, acabou colher sangue.

Não somos mãezinhas. Somos MÃES.

Mães que conhecem os filhos com a palma das mãos.

Mães que sabem que cada é um é cada um. O que serve para um, pode não servir para o outro.

Mães que passam noites sem dormir cuidando de outro alguém.

Mães que veem a vida virar de ponta cabeça de repente.

Mães que às vezes choram.

Mães que viram leoas para proteger a cria.

Mães que amam incondicionalmente.

Somos mães. Assim como você.

Só que talvez você não se lembre, pois faz muito tempo.

Ou talvez você só esteja repetindo o mantra que te passaram.

Ou talvez a sua vez de ser mãe ainda não tenha chegado.

Ou talvez você ache “fofo” me chamar de “mãezinha”.

Eu entendo perfeitamente e não te julgo.

Só não quero ser mãezinha, ok ?

Eu me chamo Daniela, muito prazer ! Sou MÃE do Rafael e da Luísa. E você ?

Gostou? Compartilhe. Marque uma amiga que vai gostar .

Siga a minha funpage: @umsonhodiferente. Instagram: sonhodiferente.

Texto: Daniela Figueiredo – blog Um Sonho Diferente.

Categorias: Jóias raras, Textos e Poesias

Zelando o seu sono

Eu estou aqui.
Bem ao seu lado.
Zelando o seu sono. Enquanto o meu não vem.
Eu sei que você sabe que estou aqui. Eu sei que aqui não é a sua casa.
Eu sei que você quer ir pra casa. Eu também.
Saudade de você de dengo.
Saudade de ninar você.
Saudade da nossa casa com você nela.
Sem você, a casa não tem cor.
Sem você, a casa é vazia.
Sem você, a casa fica triste.
Falta um pedaço da casa .
Falta um pedaço de mim.
Falta um pedaço de nós.

Falta pouco, Lulubinha. Já vamos pra casinha, meu amor.

Texto:Daniela Figueiredo. Blog Um Sonho Diferente.
Para mais textos siga meu Instagram: sonhodiferente.

Gostou desse texto? Compartilhe. Marque uma amiga.