Categorias: Textos e Poesias

Minha Fofolete

 

Filha minha,

Meu docinho,

Meu algodão doce.

Como você pode ser tão meiga e ao mesmo tempo forte como um leão ?

Como você pode transmitir toda essa paz e energia pelo olhar ?

Você, meu brigadeiro de Nutella…você que transformou  minha vida em tons de rosa e em um mundo encantado de babados e laços.

E me deu de volta minha boneca. Só que agora é de verdade … Minha “fofolete”, eu te escolheria milhões de vezes se tivesse esse poder.

Obrigada minha filha,  por me escolher como sua guardiã 💕.

Obrigada Deus, por me confiar esse presente.

Autoria: Daniela Figueiredo

(texto orginalmente publicado em meu perfil do instagram @sonhodiferente em 30 de abril de 2018)

Categorias: Experiências, Rotina com filhos

A vida como ela é

Não é uma foto perfeita.

Não me importo. É uma foto da minha vida como ela é.

Que como a foto, não é perfeita.

Mas é tudo que mais amo e não trocaria por nada nesse mundo.

Nessa foto, vejo um retrato de um dia comum. Sem glamour, sem capa de revista, mas feliz.

São detalhes que parecem singelos, mas nessa mesma foto eu enxergo :

  • Um rapazinho com a calça do pijama “pescando siri” porque cresceu… e rápido ! E como ! Está crescendo saudável e encantador.

 

  • Se você observar bem, vai ver o mesmo rapaz com um adesivo adesivo na mão. Não quer tirar , está orgulhoso porque ganhou do “tio do judô ” , por bom comportamento.

 

  • Vejo também um mini pacotinho cor de rosa todo fofo e serelepe. Querendo chamar minha atenção batendo pezinho na minha perna. E pegando com a própria mão uma chupetinha. Cena que não seria possível de se ver alguns meses atrás. Uma Lulubinha que não interna há seis meses e está cada vez mais graciosa.

 

Gratidão é a palavra do dia !

 

Autoria: Daniela Figueiredo

 

 

(Texto originalmente publicado em meu perfil do instagram @sonhodiferente em 08 de maio de 2018 )

Categorias: Experiências, Textos e Poesias

Amor de Pai

 

 

Quase não se fala.

Quase não se escuta.

De tanto que se ouve : “amor de mãe, é amor de mãe ! ” ou algo assim, o amor do pai fica em segundo plano.

Quase um grito abafado.

Um espirro que teima em não sair. 

Quase invisível.

Quase Pepsi: “pode ser ? ” 

Aquela segunda fatia do bolo. Quem sabe o jogador reserva ?

Ou aquele que recebeu o Oscar de melhor coadjuvante?

 É claro que, como tudo na vida, não existe receita de bolo : cada caso é um caso. E tudo bem. 

Mas cá entre nós, tenho visto muitos super protagonistas ou co-protagonistas nesse filme da vida como ela é. 

Pais que passam as noites acordados com o bebê que chora e não dorme.

Pais que jogam o mesmo jogo, brincam de boneca, de carrinho ou contam a mesma história mais de 50 vezes seguidas.

Pais que não desgrudam do leito quando a criança está internada, que ficam sem comer e sem dormir enquanto não melhora.

Pais que nunca deixam o pão de queijo queimar, que nunca esquecem de trazer a melancia que o filho ama. 

Pais que escrevem livros sobre os filhos. 

Pais que lutam pela causa de seus filhos como um lema de vida.

Pais que vivem por eles, “até o infinito e além”.

Pais que criam conexões sentimentais inexplicáveis e lindas de se ver com os filhos.  Amor de pai, é amor de pai. 

Nem maior, nem menor. 

Nem mais, nem menos. 

Simplesmente, amor. 

(Texto originalmente publicado em meu perfil do instagram @sonhodiferente em 23 de abril de 2018).

Autoria: Daniela Figueiredo 

@sonhodiferente